Logotipo da entidade

Consultas Boa Vista SCPC

Comércio de Itaquaquecetuba registra movimento positivo no Dia das Mães

O Dia das Mães em Itaquaquecetuba foi na contramão da crise econômica e movimentou o comércio da cidade. Mesmo sem registrar as altas de anos anteriores, os lojistas itaquaquecetubenses comemoraram a manutenção dos números nas vendas em relação ao mesmo período do ano passado, quando a data registrou um aumento de 3,29%, segundo dados levantados pela Associação Comercial e Industrial de Itaquaquecetuba (Acidi).

Mesmo com receio de gastar, os consumidores foram às ruas e movimentaram as lojas com muitas pesquisas de preços, condições e produtos. As grandes redes se mostraram atentas, criaram expectativas reais e alcançaram os objetivos com a data.

“Pela situação do país, nossas expectativas foram menores e por isso não tomamos nenhum tipo de susto. Os clientes agiram da mesma forma, pesquisando, conhecendo as lojas, aproveitando as ofertas. Só de não ter tido uma diferença negativa em relação ao ano de 2015, já podemos avaliar de maneira positiva o número de vendas”, explicou Manuel Aparecido da Silva, gerente da rede Dibs.

Em outra grande loja de Itaquaquecetuba, a Grippon, a supervisora Tamires da Silva ressaltou a boa procura pelos produtos e destacou que as vendas foram além do Dia das Mães.  

“Foi bom, deu um movimento bom de vendas, principalmente no sábado. No saldo final, devido a falta de dinheiro reclamada pelos clientes, tivemos um bom volume de vendas. Pela crise que vivemos, o resultado da data é bastante positivo”, comemorou Tamires, ao destacar outra peculiaridade neste Dia das Mães. “O que se mostrou característico foi a quantidade de pessoas que aproveitaram a data para comprar mais que os presentes, comprando roupas para si, para os filhos, aproveitando mesmo as promoções”, completou.

Com preços e formas de pagamento agradáveis aos consumidores, Kléria Santos, proprietária da loja Maria Bonita, também teve um saldo positivo. “Em relação ao ano passado tive um pequeno aumento nas vendas. Então foi melhor do que eu esperava. As compras pessoais, não para presentes, foram as que puxaram as vendas e fizeram a data ter um volume maior de vendas. As pessoas aproveitaram os preços e promoções para gastar, mas presente para as mães acabou não sendo o forte”.

O receio em gastar, devido a situação de instabilidade do país, fez com o que comércio se ajustasse as novas condições, podendo assim lucrar mesmo diante da falta de dinheiro dos consumidores. “Ainda está longe de ser o ideal. Acreditamos que os comerciantes de Itaquaquecetuba têm potencial para vender mais. Mesmo as datas comemorativas sendo algo grande para melhorar as vendas, as estratégias e promoções precisam ser permanentes para que tenhamos um comercio atrativo, sempre com o objetivo de fazer a população consumir dentro da própria cidade”, destacou o presidente da Associação Comercial e Industrial de Itaquaquecetuba, Luciano Dávila.